Sangramento no início da gravidez é perigoso para o bebê?

Quando uma mulher descobre que está grávida, independente da fase que esteja, a preocupação com o bebê redobra, ainda mais quando ocorrem pequenos sangramentos inesperados.

Claro que é bastante normal que isso cause um descontrole na futura mamãe, pois a primeira coisa que vem na mente dessa paciente é que pode estar ocorrendo um aborto espontâneo. E o pânico pode ser ainda maior, quando se está passando por algum tipo de tratamento como a fertilização in vitro, fazendo com que as expectativas fiquem ainda maiores.

Contudo, ter sangramento no início da gravidez pode acontecer e é muito normal nos primeiros meses de gestação. Mas é válido quando isso acontecer procurar um profissional para que ele consiga orientar e caso seja preciso, solicitar exames para verificar as possíveis causas desse sangramento.

Quais as causas do sangramento na gestação?

De modo geral, existem diversos fatores que podem desencadear um sangramento no início da gravidez. Por isso, para facilitar e ajudar, separamos algumas das causas mais comuns para isso ocorrer.

Relação Sexual

Ter relações sexuais durante a gestação é liberado pelos especialistas, porém pode ocorrer pequenos sangramentos durante o ato, especialmente se a gestante estiver com algum tipo de ferimento ou machucado na região do colo do útero.

Além disso, esse sangramento no início da gravidez pode ser ocasionado, pela falta de lubrificação da região, devido à redução da libido feminina que acontece deste período ou devido à maior irrigação de sangue que a região da pública recebe, fazendo com que a fricção causada pelo penas rompa alguns vasinhos, causando esse sangramento.

Nidação

Bastante comum, a nidação pode ser uma das causas do sangramento no início da gravidez. Esse processo de fixação do embrião no útero, faz com que ocorra uma pequena descamação da parede uterina, o que pode levar a pequenos sangramentos sem que isso represente um risco para a gestação.

Descolamento ovular

Esse deslocamento é ocasionado pelo acúmulo de sangue entre o útero e o saco gestacional, podendo causar esse sangramento no início da gravidez. Ela normalmente pode acontecer no primeiro trimestre da gestação e desaparece sozinha, podendo ser absorvida pelo organismo da mulher até o começo do segundo trimestre.

Vale ressaltar que não são todos os casos que o deslocamento ovular causa algum tipo de sangramento. Por isso é imprescindível que a mamãe faça desde o começo da gestação o pré-natal, a fim de identificar nos primeiros exames esse hematoma e realizar o tratamento adequado.

Infecção de Urina

Outra possível causa para o sangramento é a famosa infecção de urina, bastante comum entre as mulheres e as grávidas. Além de poder causar pequenos sangramentos, ela tem como sintomas dor e ardências ao urinar, mudança na coloração e no odor da urina e redução em seu volume.

O ideal é sempre ficar atenta aos sintomas para que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos o mais rápido possível, já que ele pode trazer riscos de aborto e parto prematuro.

Reprodução Assistida

Quando uma mulher passa por um tratamento de fertilização in vitro, por exemplo, podem ocorrer pequenos sangramentos de seis a dez dias após a fecundação. Isso acontece devido ao processo de fixação do óvulo fecundado na parede do útero.

Quais os cuidados necessários para evitar o sangramento no início da gravidez?

Uma gestação requer da futura mamãe cuidados especiais, tanto com a sua saúde como a do bebê. E é muito importante ter atenção redobrada com questões habituais do dia a dia para prevenir esse sangramento no início da gravidez, assim como:

  • Realizar o pré-natal desde o início da gestação, para realizar todos os exames recomendados para que o médico consiga verificar e identificar possíveis problemas que possam causar um sangramento;
  • Evitar fazer muito esforço físico, pois pode sobrecarregar ainda mais o corpo da mulher. Além de haver o risco de quedas e traumas por excesso de peso e esforço, todo esse excesso poderá desencadear um sangramento e ainda colocar a saúde da mamãe e do bebê em risco;
  • Manter uma alimentação balanceada e saudável para garantir o bem-estar da grávida e a nutrição do bebê, deixando o organismo muito mais forte para combater infecções e outros problemas que podem causar sangramentos e complicações gestacionais;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro, a fim de evitar que haja algum tipo de problema no sistema circulatório da mulher e comprometer o desenvolvimento do bebê.

O mais importante é sempre procurar a ajuda do médico no caso de qualquer tipo de sintoma diferente do esperado, pois quanto antes as intercorrências forem avaliadas e acompanhadas, menores os riscos de complicações e mais segura a mamãe e o bebê estarão.

Esse conteúdo foi escrito pela equipe de conteúdo da WSI Marketing.

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.